Acho que você nunca imaginou um ET assim, não é mesmo? Ou que ele pegaria carona em um balão meteorológico.

Mas foi o que aconteceu, uma equipe da Universidade de Sheffield, de acordo com um estudo publicado no Journal of Cosmology.

O professor Milton Wainright lançou um balão com pregos especiais que só aparecem quando atingir a estratosfera e retrai no caminho de volta. Esses pregos, voltaram cheios de “biomorfos“, organismos minúsculos nunca visto na Terra e grande demais para ser jogado na atmosfera por uma erupção (e não houve grandes vulcões na última década).

A equipe de Wainright propôs que os organismos estão constantemente chegando na estratosfera através de cometas e chuvas de meteoros.

“A conclusão é que a vida está sempre chegando a Terra a partir do espaço”, o professor escreveu. “A vida não é restrita a este planeta e quase certamente não se originou aqui.”

Testes e analises estão sendo realizados nos organismos. Outros pesquisadores concordam com o estudo e são capazes de reproduzi-lo. Wainwright diz: “Temos que mudar completamente a nossa visão da biologia e evolução.”

O estudo chega esperançoso, assim como um papel da NASA na revista Science revela que a Curiosity em Marte não conseguiu encontrar quaisquer vestígios de metano – o que sugere que é muito improvável que ele irá encontrar todas as bactérias no Planeta Vermelho.

Assim, não pode haver vida em Marte, mas ainda poderia ser mais abundante no universo do que podemos imaginar.

 

Foto: University of Sheffield/PA Wire
Fonte: Mashable.com