A tempestade geomagnética mais forte em mais de seis anos deve atingir a Terra. O fenômeno poderá afetar as rotas aéreas, redes de energia e satélites. As informações foram divulgadas pelo Centro de Previsão Meteorológica Espacial dos Estados Unidos.

A massa coronal (uma grande parte da atmosfera do Sol), foi ejetada e lançada em direção à Terra no domingo, conduzindo partículas solares energizadas a cerca de 2.000Km/segundo, cerca de cinco vezes mais rápido do que costumam viajar as partículas solares.

“Quando nos atingir será como um grande aríete que empurra o campo magnético da Terra. Essa energia faz com que o campo magnético da Terra flutue”, disse Onsager, de Boulder, no Colorado.

A energia pode interferir também em comunicações de alta frequência de rádio, usadas pelas empresas aéreas para navegar próximo ao Polo Norte em voos entre a América do Norte, Europa e Ásia, portanto algumas rotas podem ser alteradas.

Essa tempestade também pode afetar redes de energia e operações por satélite. Astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional podem ser aconselhados a buscar abrigo em partes específicas da aeronave para evitar uma dose solar reforçada de radiação.

O Centro de Meteorologia Espacial disse que a intensidade da tempestade geomagnética seria provavelmente moderada ou forte, nos níveis dois e três de uma escala de cinco níveis, sendo o cinco o mais extremo.