Relatórios circulantes no Kremlin hoje estão dizendo que comandantes da Força Aérea Russa emitiram avisos para todos os seus aviões para exercerem “extrema cautela” durante os vôos em torno e em cima de “uma área definida como Latitude 17 Norte [Oceano Atlântico Norte] Latitude 3 Sul [OceanoAtlântico Sul] para Latitude 8 Norte [Oceano Índico] Latitude 19
Sul [Oceano Índico] entre as longitudes, 46 Oeste, 33 Oeste, 46 Leste e 33 Leste”, e que cobre a maior parte da placa tectônica Africana.

A razão para este alerta sem precedentes, declaram os relatórios, são a rápida formação de “tempestades geomagnéticas” emanadas das fronteiras da placa tectônica Africana que, devido à sua intensidade, causaram a perda
de dois grandes aviões de passageiros durante o mês passado, deixando cerca de 300 homens, mulheres e crianças mortas. A primeira aeronave a ser abatida por este fenômeno foi o vôo 447 da Air France, e estes relatórios afirmam que após encontrar uma destas tempestades geomagnéticas, em 1 junho, perto da fronteira ocidental da placa tectônica Africana, próximo das ilhas brasileiras de Fernando de Noronha, foi “completamente aniquilado”, causando a morte de 216 passageiros e 12 tripulantes, caindo em pedaços no Oceano Atlântico.

A segunda aeronave a ser abatida ocorreu na fronteira oriental da placa tectônica Africana, hoje, quando outra destas tempestades geomagnéticas golpeou do céu um vôo da Yemeni Airways, que ia para a Ilha Nação dos Comores, no Oceano Índico, no qual dos 153 passageiros e tripulantes a bordo, apenas 1 criança “milagrosamente” foi resgatada, até o momento.

(…) têm sido conhecido há mais de um ano com o relato de um “novo oceano” formando_se na Etiópia, e, como se pode ler como relatado por Nature News Service:…

“Embora o nascimento de um oceano seja um fenômeno extremamente raro na grande escala histórica, a geofísica está atualmente experimentando tal eventualidade. Ainda mais impressionante, está ocorrendo em uma das mais inóspitas e áridas regiões da Terra, a Depressão Afar na Etiópia. O continente Africano está literalmente se descosturando, tal qual a manga de uma camisa velha, ao longo da área conhecida como Fratura do Leste Africano, que o atravessa, começando no extremo sul do Mar Vermelho, passando por Eritréia, Etiópia, Quénia, Tanzânia e Moçambique.

A lava derretida abaixo da superfície da Terra torna a fina por estar constantemente chocando_se contra ela (…)”
Embora cientistas ocidentais afirmem que a formação deste novo oceano não é susceptível de ser concluído por milhões de anos, cientistas russos declaram, inequivocamente, que, devido à atual e inédita atividade solar, a nossa Terra está em risco de ser, literalmente, “rasgada”, na pior, ou quase, “total inversão polar” devido a uma, ainda sem explicação, mas extremamente poderosa, força gravitacional emanada do exterior que chega ao nosso Sistema Solar que alguns pesquisadores declaram ser o misterioso Planeta X, e que muitos acreditam ser uma grande anã marrom e conhecida para os antigos povos da Terra como Nibiru, e chamada pelo nome de Absinto na Bíblia cristã.

Cientistas russos ainda advertem que a “obsessão” Ocidental com o Aquecimento Global, produzido pela humanidade, é um esforço de propaganda deliberadamente concebido para proteger seus povos a partir do fato de que não só a nossa Terra, mas de todos os planetas do nosso Sistema Solar estão em rápido aquecimento, e como revelado, além de qualquer dúvida, pelo Doutor Cientista Habibullo Abdussamatov, chefe da investigação espacial no Observatório Astronômico de St. Petersburg’s Pulkovo, na Rússia, quando, em 2007 lançou suas descobertas que pelos 3 anos anteriores as calotas polares de Marte têm derretido numa taxa sem precedentes.

E como relatado por um site dissidente Ocidental de informação, entre muitos: “Fotografias da fusão de duas manchas vermelhas sobre Júpiter, evidenciam o aquecimento sobre a maior lua de Netuno, Tritão, o aquecimento em Plutão, que é “inexplicável para os cientistas” e, naturalmente, a tendência de aquecimento já documentada em Marte, todos adicionando convincentes provas de uma maior atividade solar em todo o sistema solar.”

Entre as partes mais arrepiadoras destes relatórios sobre a atual instabilidade da placa tectônica Africana, estão aquelas em que os cientistas russos afirmam que se uma poderosa força gravitacional suficiente seja exercida sobre essa região [como a que poderia ocorrer na Terra com a presença de um corpo do tipo do Planeta X], poderá causar o afundamento desta placa com os oceanos Atlântico e Índico cobrindo completamente o que é agora conhecido como o Continente Africano, e ainda provocar um correspondente aumento do que era conhecido pelos antigos povos como os continentes da Atlântida, no meio do Oceano Atlântico, e Lemúria, nos Oceanos Índico e Pacífico. Interessante notar que os acontecimentos atuais são o que o mais documentado psíquico americano do Século XX, Edgar Cayce, previu: que ambas Atlântida e Lemúria iriam surgir novamente durante o fim da nossa atual era da Terra, e que muitos no mundo atualmente acreditam que será em 2012, como previsto pelo calendário maia.

Fonte: Pessoa (que não quer se identificar) de alto escalçao na maçonaria.

Anúncios