No judaísmo, refere-se ao Criador de diversas formas diferentes, que representam a concepção judaica sobre a divindade e o relacionamento Dele com o homem e com o povo judeu.

O tetragrama
O tetragrama em fenício (1100 a.C. até 300 d.C.), em aramaico (séc.10 a.C. até 0 ) e em hebraico moderno.
Dentro do judaísmo, o nome mais importante do Criador é o que conhecemos como tetragrama, nome dado às quatro letras que formam o nome da divindade. Este nome é em hebraico יהוה (YHWH), que de acordo com a tradição judaica é a terceira pessoa do imperfeito no singular do verbo ser . Esta teoria é baseada no Êxodo capítulo terceiro, versículo décimo-quarto, constitui a base do monoteísmo judaico-cristão.
Devido ao mandamento de não pronunciar o nome do criador em vão, desenvolveu-se entre os judeus um profundo sentimento de reverência para com esta palavra, de forma que a pronúncia correta tornou-se restrita, somente utilizado em ocasiões de extrema solenidade como no dia do Yom Kippur. Em outras ocasiões, pronunciava-se Adonai (meu Amo, meu Senhor) em lugar do nome do Criador. Com o tempo, esta pronúncia perdeu-se e qualquer tentativa de se estabelecer a pronúncia correta é sujeita a discussões diversas.
A forma reduzida do termo Yah é utilizada como prefixo e sufixo de diversos nomes hebraicos como Yehoshua (Yah no início: Yah + Hoshea), Yermeyahu (Yah no final + u), entre outros.

Adonai
A palavra Adonai vem do hebraico אֲדֹנָי, plural da palavra Adon (Senhor, Amo). Esta palavra era utilizada pelos fenícios para o deus pagão Tamuz e era o nome do deus grego Adônis. Os judeus utilizam esta palavra em relação a YHWH no lugar de pronunciar o tetragrama em orações e ocasiões solenes. Coloquialmente, utilizam a palavra HaShem (O Nome) para referir-se ao Criador. Quando os massoretas adicionaram a pontuação vocálica ao texto das escrituras, as vogais de Adonai foram adicionadas ao tetragrama para que se fosse lembrado que deveria ser lido Adonai no lugar do tetragrama. Esta vocalização criou a palavra Yahowah.
Em português, Adonai é traduzido geralmente como Senhor.

Ehyeh-Asher-Ehyeh
O nome Ehyeh (hebraico: אֶהְיֶה) vem da frase אהיה אשר אהיה “ehyeh-asher-ehyeh” (Êxodo. 3:14), geralmente traduzida como Eu sou o que sou.

El
A palavra El aparece em diversas línguas semíticas como o fenício, aramaico e o acadiano. No hebraico אל significa originalmente acima , elevado, e é utilizado para deuses pagãos e para o Criador de Israel , geralmente sendo associado a atributos da divindade como em: El Elyon’ (“O mais Elevado”), El Shaddai (“O Elevado Todo-Poderoso”), El Hai (“O Elevado Vivo”), El Ro’i (“O Elevado que Vê”), El Elohe Israel (“Elevado, o Elevado de Israel “), El Gibbor (“O Elevado Forte “). Também é utilizado como sufixo de nomes hebraicos como Gabriel, Daniel e outros.
Em português, El e Elohim são geralmente traduzidos como Deus.

Elohim
Termo comum usado nas escrituras hebraicas, Elohim (em hebraico: אלהים) é o plural da palavra Eloah (אלוה). No entanto, dentro do contexto das escrituras é sempre utilizado no singular, onde -im, segundo as Testemunhas de Jeová, é usado como plural majestático (pluralis majestatis) ou de excelência (pluralis excellentiæ), expressando grande dignidade, traduzindo-se por “Elevadíssimo”. O mesmo pensamento não é aceito pelos trinitarianos, que entendem ser uma dica para a Doutrina da Trindade pela forma sintática incomum como é escrito Deus [Elohim] no plural, com demais elementos da frase no singular.

HaShem
HaShem (no hebraico: השם) significa O Nome, e é utilizado durante as ocasiões normais da vida cotidiana, enquanto Adonai é utilizado no contexto religioso. Este termo não é bíblico, aparecendo a primera vez nos Rishonim (autoridades rabínicas medievais).

Yah
O nome Yah é composto das primeiras duas letras de YHWH. Aparece frequentemente em nomes hebraicos, tais como o do Profeta Elias. A expressao Aleluia ou Hallelujah, também é derivado deste, bem como o termo Jah do movimento Rastafári.


Títulos dados ao Criador

* Avinu Malkenu- Pai Nosso, Rei Nosso
* Boreh – O Criador
* Elohei Avraham, Elohei Yitzchak ve Elohei Ya`aqov — “D-us de Abraão, D-us de Isaque e D-us de Jacó”
* El ha-Gibbor — “D-us Forte”.
* Emet — “Verdade”.
* E’in Sof — “Infinito”, nome cabalístico de D-us.
* Ro’eh Yisrael — “Pastor de Israel”.
* Ha-Kaddosh, Baruch Hu — “O Santo , Bendito Ele”.
* Kaddosh Yisrael — “Santo de Israel”.
* Melech ha-Melachim — “O Rei dos Reis”.
* Magen Avraham — “Escudo de Abraão”.
* YHWH-Yireh (Yahweh-Yireh) — “YHWH provê” (Gênesis 22:13, 14).
* YHWH-Rapha” — “YHWH cura” (Êxodo 15:26).
* YHWH-Niss”i (Yahweh-Nissi) — “YHWH nossa bandeira” (Êxodo 17:8-15).
* YHWH-Shalom — “YHWH ,a nossa paz” (Juízes 6:24).
* YHWH-Tzidkenu — “YHWH , nossa Justiça” (Jeremias 23:6).
* YHWH-Shammah — “YHWH está presente” (Ezequiel 48:35).
* Tzur Israel — “Rocha de Israel”.

O uso dos termos D-us, Ad-nai e El-him
Devido ao terceiro mandamento (Não tomarás em vão o nome de YHWH), os judeus usam um apóstrofo nos nomes divinos mais sagrados, de forma a que o nome da divindade não venha a ser profanado por estar escrito em algum objeto comum.

Kýrios, escrituras gregas
Apesar dos Evangelhos serem escrituras cristãs, estes foram escritos por judeus no primeiro século depois de Cristo. Já no final do primeiro século, começaram a substituir[carece de fontes?] o Tetragrama YHWH pela palavra em grego Kýrios, que tem um sentido idêntico a Adonai e também significa “Senhor”. Por este motivo, o Tetragrama não é encontrado graficamente do texto do Novo Testamento em muitas versões da Bíblia hoje.

Fonte Wikipédia
Anúncios