“Sempre que um local tenha tido orações e desejos concentrados direcionados a ele, forma-se um vértice elétrico que atrai para si uma força e que se torna por um tempo um corpo coerente que pode ser sentido e utilizado pelo homem. É ao redor desses corpos de força que templos, locais de culto e, posteriormente, igrejas são erigidos; são Cálices que recebem um derramamento Cósmico focalizado em cada local específico.”

Dion Fortune, Aspects of Occultism

Centros de poder ou magia são encontrados tanto na Terra quanto no corpo humano. Nos Ensinamentos Wiccanos, a própria Terra é uma criatura viva e consciente. Em outras palavras, é habitada por um ser espiritual, do mesmo modo que nossos corpos são habitados por uma alma. A Terra se alimenta da radiação de outros corpos planetários ao seu redor.

Sua natureza física é como a natureza física das criaturas que nela vivem. Está sujeita a doenças, envelhecimento e declínio. Hoje, os rios, córregos e oceanos (sistema sangüíneo) estão cheios de toxinas criadas pelos seres humanos (do mesmo modo como vírus e bactérias criam toxinas em nossos próprios corpos). A Terra está muito adoentada e pede para ser curada.

De acordo com os Ensinamentos Wiccanos, a Terra possui centros de chakra, exatamente como o corpo humano. Segue-se uma lista desses centros, como compiladas pelos Ocultistas Ocidentais:

1. A colina sagrada de Arunachala, no sul da Índia.

2. A região trans-himalaia do deserto de Gobi.

3. Cairo, Egito.

4. Uma montanha a cerca de 100 milhas do litoral do Peru, na região dos Andes, imediatamente oposta a Aranachala.

5. Glastonbury, na Inglaterra.

6. Antigo local da Suméria, no Baixo Eufrates.

7. Monte Shasta, na Califórnia.

LINHAS LEY

Assim como o corpo humano, que possui um sistema de sensores e relês nervosos, também a Terra os possui. Segundo os Ensinamentos Wiccanos, as antigas civilizações ergueram locais de culto para assinalar o plexo de tais pontos no corpo da Terra. A energia que flui de ponto a ponto (seu relê nervoso) é conhecido atualmente como Linha Ley.

Há muitos desses antigos locais sobre a superfície da Terra, erguidos para amplificar suas emanações espirituais. Posteriormente, outros locais foram erguidos para modificar e redirecionar tais emanações.

Na Grã-Bretanha, encontramos o que os pesquisadores de linhas ley chamam de trilhas-diretas ou cursus, geralmente associados a montes neolíticos e túmulos longos.

Essas linhas ley foram criadas para conectar os mortos às energias dos Grandes Megalitos e outras antigas estruturas. Desse modo, a Consciência Coletiva da raça era preservada pelas pedras erguidas, que absorviam a energia que fluía pela linha ley. Em outras palavras, as linhas ley associadas com montes e monumentos foram criadas para assegurar a sobrevivência das memórias ancestrais.

As linhas ley são também conhecidas como trilhas das fadas, as quais aprofundam as associações entre fadas e o Culto aos Mortos. Os padrões geométricos encontrados nas Ilhas Britânicas são um resquício dos padrões semelhantes empregados pelos etruscos na organização de suas cidades, estradas, tumbas, fazendas e outras estruturas.

Padrões geométricos são associados ao xamanismo, estados de transe e ao uso mágico de drogas psicotrópicas (todos ligados aos espíritos e ao Culto do Mortos). As chamadas imagens alucinatórias descobertas no teste encaixaram-se em categorias de formas chamadas treliça, teia, túnel e espiral.

Tais formas eram constantes e universais entre os participantes do estudo, e aparentemente indicavam uma reação neurológica à privação sensorial dentro do sistema visual do cérebro. Até mesmo uma simples olhadela nos desenhos neolíticos em obras como Goddesses and Gods of Old Europe (Gimbutas) revelam a presença das mesmas imagens reveladas nos estudos sensoriais.

Os Centros de Poder No Corpo Humano

A Tradição Oculta afirma que o corpo humano possui vários centros do poder.

O primeiro deles é o Centro de Energia, também chamado de Centro de Fogo ou Centro da Serpente (operando na região genital). Esse é o assento de poder onde residem energias vitais concentradas e energias psíquicas.

É, essencialmente, um centro de transmissão ligado ao plano astral, na verdade um tipo de portal. Como todos os centros psíquicos, ele é influenciado pelas emanações lunares associado às quatro fases da Lua. O próprio Centro da Serpente está associado à lua nova, cuja energia é procriativa, potencial, latente. Os estimuladores estelares desse centro são encontrados nos signos astrológicos de Peixes, Câncer ou Escorpião. Assim, a utilização mágica do Centro da Serpente é mais profunda quando a Lua ocupa esses signos zodiacais.

O segundo centro, conhecido como Centro Pessoal, é tanto receptivo como transmissivo. Sua função é lidar com a condensação e a manifestação das energias astrais. Trata-se de um dos muitos portais através dos quais o corpo astral do indivíduo pode deixar a carne física. Grandes quantidades de energia podem ser atraídas e enviadas por essa área, que é extensivamente utilizada em práticas xamânicas. As influências estelares que auxiliam esse centro na solidificação do material astral são os signos de terra: Touro, Virgem e Capricórnio.

O terceiro centro, o Centro de Poder, também é a um tempo transmissivo e receptivo, e lida com as energias vitais. Por ele alimentamos tanto o corpo físico quanto o astral. Esse centro está ligado à lua cheia, cujo período torna-o mais poderoso. Os signos associados a ele são os signos de fogo: Áries, Leão e Sagitário. É o fogo mágico dos alquimistas, que transforma tanto a matéria quanto o espírito. Entre os bruxos italianos, esse agente mágico está presente na chama espiritual (Ways of the Strega).

O quarto centro é conhecido como Centro Emocional. É essencialmente receptivo, mas também transmite. O Centro Emocional lida com os sentimentos e a ética humanos. Associado ao elemento criativo da água, este centro nos permite sentir outra pessoa num nível emocional. É mais eficientemente empregado com fins mágicos quando a Lua ocupa um dos signos de água: Peixes, Câncer ou Escorpião.

O quinto centro é o Centro Vibracional. É transmitivo por natureza e trata da causa de ações e reações. O mais físico dos centros não-físicos, este centro está associado ao elemento criativo do ar. O ar é o meio que transporta as vibrações e influi em sua eficácia. Este centro é mais eficaz, em termos de magia, quando a Lua ocupa um dos signos de ar: Aquário, Gêmeos ou Libra.

O sexto centro, Centro Psíquico, é basicamente receptivo, mas também funciona de modo transmissivo. Ele é também chamado de Terceira Visão e Centro da Pureza. Trata-se de um centro psíquico muito ativo e mais um ponto de saída para o corpo astral. Por também interpretar padrões e vibrações de energia etérea, é ainda associado aos signos zodiacais do elemento criativo do ar. Assim sendo, a utilização mais eficaz desse centro com fins mágicos ocorre quando a Lua está em um dos signos zodiacais associados ao elemento criativo do ar.

O sétimo centro é o Centro Divino. Receptivo e transmissivo, ele lida com a “Consciência das Deidades”. É nosso self mais elevado e ponto de nossa união com o que nos criou. É visto como externo ao corpo e, portanto, não se limita às associações atribuídas aos outros centros de poder do corpo. Ele também dá vida aos outros centros e oferece uma natureza mais elevada a cada um deles. Essa vibração superior emana de sua conexão com a luz divina. Dessa forma, a aura do corpo é um campo de energia formado pelas emanações de cada centro de poder sob influência do Centro Divino.

No nível físico, esses centros funcionam para manter o corpo e seus órgãos. O Centro de Energia rege os órgãos reprodutivos. O Centro Pessoal gera a saúde de modo geral e mais especificamente o fígado, o pâncreas e o baço. O Centro de Poder gere as glândulas supra-renais. O Centro Emocional gere o timo. O Centro Vibracional gere a glândula tireóide. O Centro Psíquico gere a glândula pineal. O Centro Divindo influencia tanto a glândula pituitária quanto a pineal.

Há duas correntes de energia, as correntes do deus e da deusa, a fluir através desses centros do corpo. As correntes se originam do Centro de Energia e se cruzam no Centro Emocional, cruzando-se novamente no Centro Psíquico. Elas influenciam diretamente nossa sexualidade e preferências sexuais através da “freqüência” de seus padrões de energia, e definem nossa natureza interior.

Nas culturas judaico-cristãs, geralmente apenas uma dessas correntes é plenamente funcional, tornando o indivíduo heterossexual ou homossexual. Quando ambas as correntes operam de modo equilibrado, elas alinham o indivíduo ao estado natural bissexual. É interessante notar que o símbolo médico do caduceu, representando a saúde perfeita, é em si mesmo um símbolo das correntes do deus e da deusa fluindo em equilíbrio por toda a coluna.

Glândulas e o Sistema Endócrino

Nos Ensinamentos Misteriosos, o sistema endócrino é um sistema glandular associado a sete grupos de glândulas; essas glândulas, por sua vez, são associadas aos sete centros de poder do corpo humano. Nesse sistema, vemos a relação entre o corpo físico e o etéreo. O sistema endócrino tem como função produzir e liberar vários hormônios na corrente sangüínea, necessários para o perfeito funcionamento do corpo, Secreções endócrinas regulam a atividade corporal, controlam o crescimento e coordenam a relação entre os impulsos nervosos e as respostas no corpo como um todo.

No nível metafísico, as glândulas servem para dissipar as emanações astrais e divinas canalizadas pelo Centro Divino a cada um dos centros de poder. A função oculta das glândulas pineais é regular as emanações recebidas de luz etérea do Centro Divino coletadas no interior de cada centro de poder. No nível metafísico, as glândulas pineais servem ainda para regular a energia que o corpo etéreo retira de cada centro (para manter sua própria forma).

A tireóide regula a sensibilidade a sensações físicas, psíquicas e etéreas. O timo e o pâncreas coordenam o fluxo e a resposta a correntes de energia associadas ao plexo solar. Esse plexo funciona como uma teia de energia sentindo o estímulo das energias sobre ele, e é regulado pelo baço. As supra-renais mantêm a relação entre os instintos básicos e os princípios espirituais mais elevados.

Quando estimulados, somos inundados por sinais para atacar ou fugir. Reagimos a isso de acordo com nossa natureza espiritual. As gônadas influenciam as relações entre nossos desejos físicos e psíquicos. A energia desse centro, portanto, afeta nossa criatividade tanto de natureza física como mental.

É interessante notar que os ocultistas associam o plexo solar à clarividência. Através desse centro, o corpo é alimentado com energia etérea do Sol, da Lua e das estrelas. Acredita-se que o corpo astral esteja conectado à carne pelo fígado.

O fígado serve para filtrar elementos da corrente sangüínea e também das energias que passam por seu equivalente etéreo. Por essa razão os antigos utilizavam o fígado em suas adivinhações. Anormalidades no fígado refletiam os padrões contidos na energia cósmica que flui através do corpo astral.

No ocultismo, todas as manifestações no plano físico acontecem antes no plano astral. Assim, a aparência física do fígado refletia padrões astrais ainda não manifestos. Os estrucos, talvez mais do que qualquer outra civilização, elevaram esse tipo de adivinhação a uma arte, da qual eram mestres.

Anúncios